1º festival de cinema negro de Pernambuco abre inscrições para mostra competitiva

Em sua segunda edição, a ‘Semana do Audiovisual Negro’ promete fortalecer o antirracismo por meio da sétima arte dentro e fora do estado; Filmes podem ser enviados até o dia 31 deste mês

Texto: Redação / Edição: Lenne Ferreira / Imagem: Divulgação/Semana do Audiovisual Negro

“Refletir sobre ancestralidade e territorialidade das imagens”. É o que propõe a segunda edição da mostra pioneira de cinema pernambucano produzido por idealizadores negros e negras. Intitulada ‘Semana do Audiovisual Negro’, o evento está previsto para acontecer em formato on-line de 8 até 14 de março. A mostra está com inscrições abertas gratuitas para receber produções audiovisuais até o dia 31 deste mês. 

O Festival busca fortalecer o antirracismo através da sétima arte dentro e fora do estado, por isso, diretores negros e indígenas de todo o país protagonizam a programação de exibição do evento. Os filmes inscritos terão que cumprir a duração exigida de até 30 minutos e terem sido realizados a partir de janeiro de 2019. Estilos de produção como ficção, documental, experimental, animação, universitário e formativo entrarão para a grade da mostra.

A lista com as obras selecionadas serão apresentadas até o dia 28 de fevereiro, por meio das redes sociais do evento e por email aos responsáveis pela inscrição. O júri será composto por três pessoas convidadas e uma membra da equipe do evento. A banca, em premiação, concederá o valor o valor de R$ 1.000,00 (cada) a três curtas-metragens. 

Para além da exibição dos filmes, a Semana do Audiovisual Negro ainda insere em sua programação exposição de videoarte, promoção de debates e oficinas de formação. As atividades de formação serão compostas em três turmas, dividas pelas temáticas: ‘Videoarte Ação’, com Lia Letícia; ‘Cinema de Animação Negra’, com Kalor Pacheco; e ‘Cinema Lésbico’, com Mariana Souza. As inscrições são gratuitas e deverão ser feitas entre os dias 1 a 10 de fevereiro. O resultado dos selecionados está previsto para sair no dia 20 do mesmo mês.

Em caráter on-line devido a pandemia pela COVID-19, esta edição será realizada pelo Cineclube Alma no Olho em parceria com a Tarrafa Produtora e o incentivo é concebido pelo Edital da Lei Aldir Blanc, lançado pelo Governo do Estado de Pernambuco. O Coletivo de Negritude de Pernambuco, Cineclube Bamako, Cineclube Fazendo Milagres, Coletivo Ficcionalizar e Cinema UFPE também apoiam a Semana. 

Informações e links para os formulários de inscrições, da competitiva e das oficinas, estão na página do Instagram e Facebook do evento.

 

 O povo preto quer narrar suas histórias

Vivemos em um mundo de disputa. Nossa sociedade tem profundas marcas das desigualdades que foram desenhadas ao longo da história. Na atualidade parece que há espaço para debate, a tão falada representatividade está sobre a mesa.
Mas o povo preto quer mais. Queremos narrar nossas próprias histórias. Queremos ter direito de fala não somente quando essa é concedida. Somos múltiplos, somos muitos e plurais. A ótica de ser preto no Brasil se revela como um espectro, tamanha a diversidade dos povos ancestrais que nos originaram, e a variedade de experiências que podemos ter e ser. Pertencer. O que nos conecta é pele.

Apoie o Alma Preta e nos ajude a continuar contando todas essas histórias.

Vamos fazer jornalismo na raça!